06/02/2018

5 dicas de alimentação infantil para os feriados

Oferecer muita água, não substituir refeições por lanches, evitar excesso de doces e bebidas açucaradas ajudam na rotina de alimentação infantil

Alimentação infantil: menina comendo uma refeição saudável
Alimentação infantil: menina comendo uma refeição saudável

A rotina de alimentação e atividades físicas, que são regulares em escolas, creches e outras instituições, pode ficar um pouco comprometida nos fins de semana e feriados prolongados. Nessas datas, é aconselhável que os adultos tenham atenção redobrada quanto à ausência de um horário definido para refeições e comidas não tão saudáveis.

“Durante as aulas existe um maior controle de horários para alimentação e brincadeiras. Longe da escola, a tendência é ter uma liberdade maior para comer qualquer coisa e passar muito tempo assistindo televisão ou jogando videogame. É importante ter essa liberdade, mas é fundamental que seja algo supervisionado para não trazer prejuízos à criança”, explica a coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Michele Lessa.

Dicas para manter a rotina da alimentação infantil 

Michele dá algumas dicas simples para manter uma alimentação saudável neste período. “Oferecer bastante água para as crianças e tentar garantir que as refeições sejam realizadas no horário, evitando que elas pulem refeições ou as substituam por lanches. Além disso, estimular a alimentação saudável com frutas, verduras, legumes, arroz, feijão e carnes, evitando o excesso de doces e bebidas açucaradas”, aponta a coordenadora.

A atividade física é outro ponto fundamental para o crescimento e desenvolvimento das crianças e não pode ser esquecido quando elas estão longe da escola. Em períodos longos de descanso é comum que as crianças queiram passar mais tempo do dia sem fazer qualquer atividade física, diante de um aparelho de TV, celulares, tablets ou videogames. Vale lembrar que as atividades físicas ajudam a combater à obesidade, aumentam a resistência contra doenças e ajudam no desenvolvimento do corpo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda 150 minutos semanais de atividade física leve ou moderada, o que, na prática, representa apenas 20 minutos por dia, o que pode ser pouco para tanta energia que uma criança tem acumulada.

Para Michele, é fundamental estimular o ato de brincar em locais ao ar livre. “É importante destacar esse tempo, que deve ser de pelo menos uma hora por dia, para a criança tomar sol, com atividades ligadas à natureza, para se divertir com brinquedos que estimulem a movimentação e que sejam menos tecnológicos, além de que esse tempo seja aproveitado em família”, finaliza.

Foto: Karina Zambrana

Compartilhar:

A+

A-

A



Visite o Portal da Saúde

Acesse o Blog da Saúde

Publicações do Ministério da Saúde

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

Ministério do Esporte